Clic To PrayPasso a Rezar
A Rede Mundial de Oração do Papa

Oração Comunitária

REZAR COM O PAPA

 

TRABALHO, DIREITOS, DESEMPREGADOS

 

1. Cântico de entrada

 

2. Introdução

Mês de outubro, mês do Rosário, mês da última aparição em Fátima. Mês para rezarmos com Maria, em união com o Papa e pela sua intenção: rezar “pelo mundo do trabalho”, para que todos os trabalhadores vejam respeitados os seus direitos, rezar pelos desempregados, para que lhes seja dada a possibilidade de contribuírem para a edificação do bem comum. Vamos rezar cinco mistérios do rosário, pois parece o mais indicado neste mês de outubro.

 

3. Primeiro mistério

Coloquemos diante de nós Jesus, operário e trabalhador, e sua Mãe, dona de casa, nas lides domésticas. Podemos enquadrar na cena S. José, operário, carpinteiro. Contemplar o trabalho dos três membros da Sagrada Família é entrar no mistério do homem, da criatura que colabora com Deus Criador através do seu trabalho. Encontramos três excelentes modelos do que deve ser o nosso trabalho e o trabalho de todos os homens e mulheres. Não ser escravo do trabalho, não trabalhar só por ganância, trabalhar para o bem comum, viver a sua atividade laboral para crescimento pessoal, com dignidade e encanto. Neste mistério, peçamos à Sagrada Família pelo mundo do trabalho, para que todos vejam respeitados os seus direitos e a sua dignidade. Rezemos o primeiro mistério.

Pai nosso… Ave Maria… Glória…

 

4. Cântico

 

5. Segundo mistério

Muitos operários são explorados, os seus direitos e o respeito que merecem não são observados: trabalhos sem grandes condições; horas a mais que não são pagas; mal alimentados; salários em atraso, etc. Um mundo do trabalho onde há, muitas vezes, situações de exploração, de injustiça, de falta de respeito pela dignidade humana. E, muitas vezes, esses trabalhadores, homens ou mulheres, muito jovens, têm por detrás de si uma família que precisa de viver, comer, tratar da saúde, estudar, etc. É toda a família a sofrer as consequências da exploração e da injustiça. São muitos milhões de pessoas no mundo a sofrer as consequências dessas situações, que geram muita indignidade, muito mal-estar, muita fome, muita injustiça, falta de meios para descanso, saúde, alegria de viver. Rezemos o segundo mistério por essas multidões oprimidas e exploradas.

Pai nosso… Ave Maria… Glória…

 

6. Cântico

 

7. Terceiro mistério

A situação dos milhões de desempregados é ainda de piores consequências e de maiores sofrimentos. Não ter um trabalho, com o respetivo salário, com condições justas, degrada e traz à própria pessoa e à sua família consequências tremendas, intoleráveis, desesperadas. O Papa alerta para este problema e pede que rezemos por ele. Temos que alargar o coração à dimensão do mundo, da humanidade, para meter todos no nosso coração e na nossa oração. Temos que meter todos no Coração de Cristo. E se nos for possível, temos que ajudar a que as estruturas da sociedade, as leis de certos países, das empresas, o modo de recrutar funcionários façam descer o número de desempregados. É uma opção pelos pobres, pelos injustiçados, pelos desempregados. Rezemos por esta intenção o terceiro mistério.

Pai nosso… Ave Maria… Glória…

 

8. Cântico

 

9. Quarto mistério

Voltemos a Jesus operário e contemplemos a sua maneira de trabalhar, de agir, de acolher, de colaborar com S. José. Contemplemos o Rabi de Nazaré na sua carpintaria, trabalhando, de mãos calejadas e suor no rosto, mas com o seu coração e o seu espírito no Pai. Era um contemplativo na vida, no trabalho, na sua ação diária. O trabalhador cristão tem que O imitar, saber, através do trabalho, viver unido e estar com o coração no Pai. Ver a ação do Pai Criador a agir na sua obra, no seu trabalho, na sua ajuda na construção do mundo, na inovação, nas maravilhas que se fazem, nos êxitos que se alcançam. Tentar imitar Jesus e trabalhar, qualquer que seja o trabalho, com o coração no Pai, para crescermos na vida contemplativa, na contemplação na ação, na união com Deus durante o trabalho, na santificação da vida e do trabalho. Peçamos esta graça neste quarto mistério.

Pai nosso… Ave Maria… Glória…

 

10. Cântico

 

11. Quinto mistério

Vamos renovar a nossa intenção, unidos ao Santo Padre, em comunhão filial com ele e com milhões de pessoas nesta rede de oração, pelos trabalhadores e desempregados e tomar a sério as suas situações duras e difíceis. Quantos têm condições indignas de trabalho? Quantos não recebem o ordenado merecido nem os aumentos a que têm direito? Quantos trabalham sem saúde, com medo de perder o emprego? Quantas não querem engravidar, com medo de serem despedidas? Quantos, com estudos universitários, não conseguem emprego porque não lhes querem pagar o ordenado justo? Quantos se sujeitam a trabalhar mais horas, sabendo que não são pagas, só para não serem postos na rua? Quantos ficam sem emprego quando a empresa “resolve” ir à falência, mas os patrões ficam ricos e com dinheiro no estrangeiro? Estas e tantas outras e graves situações necessitam da nossa oração. Rezemos por todos estes irmãos e irmãs o quinto mistério.

Pai nosso…Ave Maria…Glória ao Pai…

 

12. Oração em comum

Senhor Jesus que, na vida de Nazaré,

exerceste o teu trabalho de carpinteiro,

ajuda e ampara todos os trabalhadores.

Faz que sejam assegurados a todos o respeito

e a tutela dos seus direitos.

Faz que sejam tratados com a dignidade que merecem,

que se sintam integrados na obra que realizam,

que não se sintam explorados nem sejam mais um número,

mas envolvidos com empenho no trabalho que desempenham,

se sintam felizes e colaboradores responsáveis.

Lembra-Te também dos desempregados,

hoje são muitos milhões em todo o mundo,

para que possam ter o seu trabalho,

e a possibilidade de contribuírem, com empenho,

na edificação do bem comum.

Amém.

 

13. Cântico final

 

 P. Dário Pedroso, sj

 

 íconpdf 2 Trabalho, Direitos, Desempregados